terça-feira, 1 de dezembro de 2009

OBJEÇÕES A PROPOSTA FUNDAMENTALISTA


Retomando nossa discussão sobre o intrigante drama entre fé e cultura, gostaria de apresentar algumas objeções a proposta fundamentalista de depreciação da cultura que descrevemos anteriormente.

1° Essa proposição não põe fim à tensão entre fé e cultura. O simples fato de negarmos a cultura, nos distanciando da mesma, não resolve o fato de que ela estará sempre presente, bem ai na nossa frente.
2° Semelhante ao cristianismo monástico (vivencia cristã em mosteiros isolados da sociedade) a proposta fundamentalista baseia-se apenas no ideal separatista como única maneira de viver a fé cristã. Além de ser reducionista este ideal consiste em uma simples alienação e desvalorização da vida.
3° Acredito que um dos principais problemas desta proposta consiste em negligenciar a mensagem da encarnação de Cristo. Ao se encarnar Cristo assumiu a vida de sua época, os costumes sociais, as práticas alimentares e vestuais. De igual forma, nós cristãos somos chamados para encarnar nossa fé na vida, levando dessa forma a mensagem libertadora do evangelho de Cristo.
4° Outro grande problema gerado por esta proposta é que ao enfatizar a cultura como algo maligno, tal postura impede a possibilidade de interpretar a cultura como instrumento da revelação de Deus. O próprio Jesus utilizou-se da linguagem humana e das mais variadas expressões culturais de sua época para comunicar o evangelho.
5° A cultura é uma construção humana. Cultura é sobrevivência. Ela nos liga ao nosso passado histórico, nos mantém firme no presente e nos aponta o futuro. As manifestações culturais, especialmente as artísticas, são uma forma de expressar amor, ódio, tristeza, alegria, paz, revolta e tantos outros sentimentos que estão ligados a nossa natureza humana. As escrituras nunca proibiram a expressão do coração do homem. Ao contrário a Bíblia é um livro que emerge do ser, que dotado de suas mais confusas emoções humanas foi impactado pela revelação de Deus.


2 comentários:

Perkison disse...

Sempre acreditei, que o isolamento da convivencia com o proximo sendo, ele branco, preto, amarelo, indio ou de qualquer outro lugar diferente da minha origem, seria um absurdo e uma ignorancia, o "IDE" e pregai o evangelho a toda a criatura, bate de frente com esse isolamento para se purificar do resto do mundo......

Texto muito muito bom ... parabens galera.

Daniel Chacon disse...

Esse é o espírito Perkão!

Postar um comentário