sábado, 10 de outubro de 2009

Cristianismo e Cultura


O mundo contemporâneo tem sido impactado por um fenômeno social extremamente intrigante: o contato com os universos multiculturais. Especialmente com o avanço tecnológico as barreiras culturais que nos distanciavam estão sendo rompidas, e a cada dia a presença do diferente tem estado diante de nós. A televisão por meio de filmes, seriados, novelas e mesmo o acesso virtual da internet tem possibilitado o contato com realidades culturais das mais diversas. Estamos a cada dia nos familiarizando com essa multiplicidade de expressões religiosas, artísticas, de festas, de práticas alimentares, e moda. È interessante percebermos que mesmo em nosso próprio país existe uma variedade ilimitada de vivencia cultural: sotaques, comidas típicas, músicas regionais e até mesmo os padrões estéticos variam em cada região do Brasil.
Frente a esse intrigante fenômeno social surgem-nos as mais variadas questões: O que significa ser cristão nessa dada condição histórica? Como pensar a fé nesse contexto plural? Como transmitir a mensagem cristã que se intitula absoluta frente a este multiculturalismo? Como, por tanto, solucionar esta evidente tensão entre cristianismo e cultura?
Essas e outras questões demandariam uma vida inteira de labor e reflexão teológica e filosófica. Entretanto, gostaria de apresentar, por meio deste ensaio, algumas perspectivas teológicas que se propuseram a resolver esta intrigante tensão que envolve cristianismo e cultura.

4 comentários:

Milton disse...

Excelente proposta, e maravilhosa perspectiva! É bem verdade que, em boa parte, "o mundo lá fora" de anos atrás não nos assustava tanto, justamente porque não tínhamos acesso a ele! E agora que ele está todinho ao clique do nosso mouse? É preciso re-elaborar!!

Grande abraço e Parabéns!

Fred disse...

extremamente verdadeiro o texto!

Perkison disse...

VERDADE... levaríamos décadas se não séculos até transpor a barreira do transculturalismo hoje existente no mundo. muito bom SR. CHACON.

Daniel Chacon disse...

Obrigado! Agora resta-nos, em quanto cristãos, pensar em como diminuir essa tensão entre nossa fé e essa diversidade cultural!

Postar um comentário